sábado, 18 de outubro de 2008

Nave Mãe


Deixar registrado o quão interessante foi a assembléia de sexta-feira conduzida por nós da Formação X. A dica da roda dada por Ana Sharp foi fundamental. Mais íntimos. Mais próximos. Mais participativos. Mais tomando nas próprias mãos as questões relativas à nossa Nave Mãe ELT. Interessante ver ecoar uma discussão que para nós tem sido muito nova e muito rica: a formação de público. Ultrapassar todas as barreiras impostas à alunos de uma escola tradicional. Ir além do aprendizado do ofício do ator, ir além, levar para os outros isso que nos foi dado de maneira tão linda. Espalhar essa nossa formação de ator, de ser humano, semeá-la por onde ainda não há pólem suficiente, formar público. Mostrar, gritar aos quatro cantos o quanto pode ser maravilhoso e transformador o contato com a arte.
Deixar registrado o quanto sou grata e apaixonada por essa Nave Mãe, ilha de Sta. Terezinha, lugar de gente que acredita muito.

Um comentário:

Thigs disse...

Deixo minhas angústias de lado para falar que a nave mãe está prestes a passear pelos quatro cantos. Penso que o impacto que ela teve e tem na alma dos artistas que por ela foram "abduzidos", agora maduros, mostrou (por experiência) o que ela significa e qual rumo deve tomar agora. Como o edgar diria: "A vida é transformação", e qual o sentido de estar em um lugar sem transformá-lo? E como transformá-lo? Fico muito contente e posso até dizer "eufórico"(no meu jeiot de ser heheh) em saber que novos questionamentos aparecem, e o melhor de tudo é que veio pela necessidade, nada imposto ou vindo de um discurso de blá blá blá. Acompanho de longe esse caminhar da ELT, mas posso dizer que tudo o que vivi com essa formação não seria válido se eu não percebesse ou deixasse a natureza falar...estou à disposição para colaborar nessa nova empreitada.